FIOL não pode ficar em segundo plano, diz Prefeito Antonio Henrique durante ato público em Barreiras

Na noite da última terça-feira, 04, na Câmara de Vereadores de Barreiras, o Prefeito Antonio Henrique na presença do Vice-Governador da Bahia João Leão e de representantes dos produtores rurais, empresários, prefeitos, vereadores e lideranças da sociedade diante dos rumores em torno da mudança do traçado original da Ferrovia Oeste Leste – FIOL, mandou um recado direto ao governo federal: “não aceitaremos calados o encurtamento do traçado desta Ferrovia, pode construir outras, mas vamos lutar juntos para manter o traçado original, nós dependemos dela para ampliar o nosso desenvolvimento” conclamou o prefeito.

fiol1

O encontro bem representativo, contou também com a presença dos prefeitos de Luís Eduardo Magalhães, Humberto Santa Cruz, Cristópolis, Antônio Pereira, Riachão das Neves, Hamilton Lima, Catolândia, Gilvan Pimentel, do prefeito de Cotegipe e presidente da União dos Municípios do Oeste da Bahia, Marcelo Mariani, do Diretor da CDL Fábio Nogueira, do Presidente da AIBA Júlio Busato, do Presidente do Sindicato dos Produtores Rurais, Moisés Schmidt, do Vice Reitor da Universidade Federal do Oeste da Bahia (UFOB) – Dr. Jacques de Miranda e lideranças de diversos segmentos de vários municípios.

Todos os oradores defenderam a continuidade das obras da Ferrovia que ligará a cidade de Figueirópolis (Tocantins) ao Porto Sul em Ilhéus, passando por 49 municípios baianos. A nova linha férrea poderá, futuramente, ser interligada a rede que chegará ao Oceano Pacífico, promovendo uma maior integração da América do Sul.

fiol2

De acordo com o vice Governador João Leão, que reconheceu a rápida atuação do Governador Rui Costa junto ao TCU, reforçando que a Ferrovia é a locomotiva para o desenvolvimento, atração de investidores e geração de empregos nas diversas cadeias produtivas: “Lamentamos esta recomendação do TCU, esta Ferrovia é um sonho antigo e fará parte do nosso desenvolvimento. Queremos industrializar a Bahia, gerando mais riqueza, emprego e renda dentro do nosso estado”, citou o vice Governador João Leão.

Para o Presidente da AIBA, a Ferrovia é um investimento para a região oeste e ressaltou que ela precisa ser concluída: “A Fiol é de importância vital para o agronegócio e para a região. A cada ano, nós perdemos competitividade em relação aos outros países que possuem um sistema de transporte e logística muito melhor que o nosso. Por exemplo, os EUA e a Austrália, que são nossos grandes competidores no algodão, e conseguem fazer uma logística quatro vezes mais barata que nós. Precisamos melhorar nosso sistema de logística se quisermos ver o desenvolvimento dos municípios como Barreiras, Luís Eduardo, Riachão das Neves e outros que precisam se desenvolver e melhorar a vida das pessoas”, declarou Júlio Busato.

fiol3

De acordo com dados da Confederação Nacional da Indústria (CNI), a conclusão da Fiol entre Barreiras e Ilhéus pode gerar uma economia anual de R$1,19 bilhões com transporte em 2020.

Os prefeitos da região disseram não tratar apenas da recomendação do Tribunal de Contas da União (TCU), mas de rebater qualquer tentativa ou projeto que contrarie os interesses da região de ver concretizado o sonho de Vasco Neto de implantação da Ferrovia Oeste Leste, uma obra com viabilidade técnica e ambiental, sobretudo neste momento em que a fronteira agrícola do MATOPIBA (Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia), integra o planejamento do Governo Brasileiro.

O traçado original da Fiol prever a inclusão dos municípios de São Desiderio, Luís Eduardo Magalhães e Barreiras, com a construção do porto seco.

  • Compartilhe: