Secretaria de Saúde de Barreiras promove capacitação sobre atendimento a pacientes psiquiátricos na UPA 24h Clarice Borges

Seguindo com o projeto de construção de uma rede de atendimento eficiente, integrado e humanizado na saúde, a Prefeitura de Barreiras através da Secretaria de Saúde, por meio da Coordenação de Saúde Mental, promoveu nesta tarde de quinta-feira (18), uma capacitação sobre abordagem, acolhimento e atendimento de pacientes psiquiátricos na Unidade de Pronto Atendimento 24hs Clarice Borges.

No auditório da Secretaria de Saúde, o secretário Melchisedec Neves fez a abertura do encontro desejando boas-vindas, já a subsecretária Jamile Rodrigues; o coordenador clínico da UPA, Dr. João Paulo; coordenadora administrativa da UPA, Keite Arcanjo; coordenadora de saúde mental, Denny Samper; médicos e enfermeiros que trabalham na urgência e emergência da UPA, receberam informações sobre contenção física e protocolos no manejo de pacientes ministrado pelo médico psiquiatra Thiago Borges, já  psicólogo Emanuel Messias trouxe uma abordagem do impacto emocional com os pacientes de saúde mental na UPA.

“Quando um paciente psiquiátrico dá entrada em atendimento a abordagem exige um trato diferenciado por parte do profissional de saúde. Há situações que exigem muito preparo, calma e sensibilidade por parte de quem atende. Estas palestras acontecem para trazer, reforçar e destacar estas habilidades que precisam ser postas em prática, principalmente a contenção física e administração de medicação”, disse o psiquiatra Thiago Borges, que abordou o tema: Educação Permanente em Saúde – Agitação Psicomotora e Contenção Física.

A coordenadora da Saúde Mental, Denny Samper agradeceu a participação de todos os profissionais, apontando principalmente a necessidade do acolhimento dos pacientes e familiares, que buscam atendimento na UPA 24hs.

“Essa capacitação, essa troca de experiências e integração com a equipe médica da UPA 24hs é essencial, para que possamos proporcionar a cada dia, um atendimento humanizado aos nossos pacientes psiquiátricos, com transtornos ou qualquer doença mental, que chegarem até a UPA. Esse momento nos dá oportunidade de se colocar no lugar do outro, a importância de ouvir e atender as necessidades de forma humana, mesmo em meio à correria que temos em um pronto atendimento, sem mencionar que a abordagem para este público é diferenciada e precisamos de conceitos próprios sobre como lidar com cada caso”, explicou a coordenadora.

Dircom/PMB 18.08.2022

  • Compartilhe: