Secretaria de Saúde de Barreiras leva orientações de prevenção ao Coronavírus e vacinação contra a gripe H1N1 aos moradores no entorno do Aterro Sanitário

A Prefeitura de Barreiras, através da Secretaria de Saúde, continua intensificando as medidas preventivas e orientações sobre a pandemia do Coronavírus (COVID-19) a toda população. Neste domingo, 05, as equipes técnicas de Saúde estiveram na localidade do Aterro Sanitário, monitorando as famílias em vulnerabilidade social, orientando sobre a importância da higiene na prevenção ao Coronavírus e imunizando contra a gripe H1N1 as crianças e idosos.

De acordo com a assessora técnica da Secretaria de Saúde, Tayna Castro, aproximadamente 80 famílias receberam separadamente para evitar aglomerações, produtos de limpeza, medição de temperatura e participaram do bate papo sobre os sintomas da COVID -19.

“Visitamos três comunidades que ficam no entorno do Aterro Sanitário, catalogando as famílias e especificando idosos e crianças. Além de medir temperatura, falar sobre os cuidados em casa e também na comunidade, como uso de máscaras e lavar bem as mãos, fizemos a atualização da carteirinha de vacinação e imunizamos os idosos em sua residência. Essa ação de monitoramento será contínua, semanalmente nossa equipe estará acompanhando essas famílias”, disse a assessora Tayna.

A Vigilância Epidemiológica (VIEP), CEREST e Centro de Controle de Zoonose também participaram da ação. O Dr. Bruno Ramos, coordenador clínico do Programa HumanizaDor conversou com os moradores sobre o isolamento social e medidas de higiene. “Durante a conversa com os moradores, percebemos que algumas pessoas estão informadas sobre o Coronavírus e outros ainda não tem percepção da gravidade da doença. Então, explicamos como o vírus age no organismo e principalmente como evitar o contágio”, disse Dr. Bruno.

A catadora de reciclável Sueli Alves, de 31 anos, que mora com o filho de 06, no Aterro Sanitário, falou sobre a preocupação da dificuldade de adquirir produtos de limpeza e população flutuante na localidade. “Nosso maior medo é dos catadores que não residem aqui, porque eles vão para cidade no final de semana e depois voltam. Nunca sabemos quem está contaminado com o vírus, e além disso, temos dificuldade de comprar produtos de limpeza”, relatou a moradora.

A coordenadora da VIEP, Doraci Oliveira promoveu um bate papo com a comunidade, orientando sobre a doença e informando sobre as unidades de saúde. “Nesse momento precisávamos fazer essa ausculta com os moradores do Aterro Sanitário, e mostrar a eles que a higiene pessoal e o isolamento social são muito importantes, principalmente para os idosos”, disse Doraci, que sinalizou o monitoramento das famílias pela VIEP durante esse período do pico de contaminação.

  • Compartilhe: