Salvadores de Maria: Sensibilização pelo fim da violência contra a mulher reúne autoridades e membros da rede de proteção, em Barreiras

A semana celebra os 13 anos de sanção da Lei Maria da Penha

A Prefeitura de Barreiras, através da Secretaria Municipal de Assistência Social e Trabalho, por meio do Centro de Referência de Atendimento à Mulher – CRAM, a Ronda Maria da Penha (PM-BA), Defensoria Pública da Bahia, Delegacia Especializada em Atendimento da Mulher – DEAM (Polícia Civil da Bahia) se uniram na tarde desta quinta-feira (08) no Centro Cultural Rivelino Silva de Carvalho para promover a Semana de Sensibilização pelo Fim da Violência contra a Mulher. Além das orientações e experiências expostas durante a abertura do evento à centenas de policiais e membros da rede de proteção à mulher, uma programação especial será realizada com a comunidade na Praça Castro Alves, em celebração também aos 13 anos de sanção da Lei Maria da Penha.

“Temos consciência que a rede de proteção formada na Bahia, especialmente aqui em Barreiras, precisa gerar reação, cobrança e enfrentamento a violência contra a mulher. Isso ajuda a prevenir e principalmente salvar vidas, é um desafio às instituições governamentais e não-governamentais porque implica em mudanças culturais, políticas, econômicas e das relações sociais no processo de defesa da vida e cidadania”, destacou a secretária de assistência social e trabalho, Karlúcia Macêdo.

A performance emocionante, em forma de monólogo, de Denny Samper, coordenadora de saúde mental do município de Barreiras, trouxe um pouco da fragilidade em que muitas mulheres chegam aos equipamentos públicos de assistência social e a luta para se reconhecer como vítima de violência doméstica. Em sequência, a Major Denice Santiago, comandante da Ronda Maria da Penha no estado da Bahia, trouxe dicas, dados e abordagens para fortalecer as vítimas diante de situações de vulnerabilidade.

Segundo a comandante, Barreiras é uma das cidades privilegiadas no estado por contar com o empenho das equipes especializadas do CRAM e da Ronda Maria da Penha. Na Bahia, apenas 33 cidades contam com o Centro de Referência de Atendimento à Mulher e 14 com a Ronda. “Nosso trabalho hoje aqui, é pensar nessa sensibilização pelo fim da violência contra a mulher. Hoje e amanhã, também são os momentos de pensar e conversar sobre como nós a partir do nosso lugar institucional, pessoal e de rede podemos melhor atender a mulher em situação de violência”, completou Denice Santiago.

Os dados expostos durante o evento, mostraram ainda que apenas 25% das vítimas procuram atendimento da rede, sete em cada 10 mulheres que ligam para o 190 são vítimas de violência doméstica, que pode ter caráter físico, psicológico, patrimonial ou sexual. “Nesse processo de rompimento do ciclo de violência, muitas mulheres demoram a ter confiança nos membros da rede e expor tudo que de fato vem sofrendo. Muitas não se reconhecem como vítima de violência sexual ou tem receio da eficiência da medida protetiva, são muitas nuances que devem ser consideradas junto com a realidade de cada mulher”, pontuou Amabel Mota, defensora pública do Núcleo Especializado de Promoção e Defesa dos Direitos da Mulher – NUDEM.

Para a coordenadora do Centro de Referência de Atendimento à Mulher – CRAM de Barreiras, “Essa ação da Rede de Atenção à Mulher, é fundamental para fortalecer as ações já existente no nosso município e capacitar a sociedade civil, os órgãos que compõem a Rede de Saúde, a Rede de Educação, a Rede de Justiça, com intuito de consolidar e fazer com que todos juntos obtenham resultados positivos, aprendendo a identificar e a realizar os encaminhamentos e acolhimentos necessários às mulheres vítimas de violência doméstica e/ou familiar, com um olhar mais sensível e humano diante dessa causa”, disse Fabíola Vian.

A programação seguirá a partir das 8:00h, desta sexta-feira (09), na Praça Castro Alves, com distribuição de material informativo, atendimento à população e momento de beleza com corte de cabelo e escova para o público feminino.

  • Compartilhe: