Parceria entre Prefeitura de Barreiras, Codevasf e Instituto Aiba intensifica ações de Recuperação Hidroambiental

Desde que foi celebrado um acordo de cooperação técnica entre a Prefeitura de Barreiras, CODEVASF e o Instituto Aiba, para realização de estudos, a elaboração de projetos e a execução de trabalhos para conservação de água e solo no município, foram intensificados os trabalhos de recuperação hidroambiental, principalmente na microbacia do Rio de Ondas.

O Projeto de Recuperação e Conservação da Microbacia do Rio de Ondas, consiste na execução de obras e serviços de recuperação hidroambiental como construção de bacias de acumulação e infiltração de água, readequação de estradas vicinais, terraceamentos, construção de bebedouros coletivos, implantação de cercas de proteção de APP´s, instalação de placas de sinalização com mensagens educativas, realização de atividades de capacitação e educação ambiental.

De acordo com o secretário de meio ambiente e turismo, Demostenes Júnior, os trabalhos de recuperação hidroambiental no município iniciaram em 2017 com a criação do Programa Barreiras Cidade Verde e Sustentável, com iniciativas voltadas à qualidade de vida, o bem-estar e conforto da população, sendo realizado o mapeamento de nascentes e áreas de recarga dos municípios, que em parcerias com os produtores foram recuperadas dezenas de nascentes.

O projeto está sendo desenvolvido na região do Val da Boa Esperança, desde a montante do encontro do Rio de Pedras com Rio de Ondas na comunidade de Forquilha do Rio até o Bairro Angélica Ayres, perímetro urbano de Barreiras. Foram contempladas as comunidades rurais: Quente Frio, Extrema, Atoleiro, Boca do Gerais, Fazendinha, Gentio, Tamanduá, Jaleco, Mocambinho, Sucuriú, Sumidouro, Sucuriuzinho, Riacho de Areia e adjacências.

Ainda conforme o secretário, os trabalhos de execução iniciaram com a construção das Bacias de Acumulação de Água (barraginhas), que tem um papel fundamental para o aumento da quantidade e qualidade das águas. “As barraginhas tem a função de promover a intercepção das águas das chuvas, mitigando a quantidade de elevação de sedimentos nas nascentes e demais corpos hídricos, a conservação das estradas rurais, como também proporciona a acumulação e a infiltração das águas pluviais, recarregando o aquífero e consequentemente alimentando as nascentes”, explicou Demostenes Júnior.

Desde do início da execução das obras e serviços já foram realizadas a construção 160 barraginhas de 10, 15 e 20 metros de diâmetro, construção de cinco bebedouros comunitário de 3.500 litros para criações, construção 7,49 km de cerca em áreas de Preservação Permanente e nascentes, construção de 8 km linear de terraços, desassoreamento de corpos hídricos, replantio de mata ciliar, implantação de placas de sinalização educativas e atividade de sensibilização e educação ambiental nas comunidades beneficiadas.

  • Compartilhe: