Oficina de violão e musicalidade promove interação e inclusão sociocultural no Residencial Boa Sorte

Iniciando os primeiros acordes no violão, aproximadamente 50 crianças que residem no Residencial Boa Sorte já iniciaram as aulas de musicalidade e violão, interagindo e conhecendo o mundo da arte. A oficina promovida pela Prefeitura de Barreiras, através da Secretaria de Assistência Social e Trabalho, por meio da Associação Amigos do Oeste da Bahia (AMOB) busca ensinar sobre o instrumento e aproximar os pequenos aprendizes das músicas populares.

As aulas acontecem toda quinta-feira das 16h às 17h e das 18h às 19h no Centro Comunitário do Boa Sorte. Durante três meses, as crianças e adolescentes do Residencial serão acompanhados pelo oficineiro e músico Maxuel Silva. Ele salienta que diariamente os alunos escutam muita música, mas com a oficina de violão os aprendizes se tornarão apreciadoras da arte. “A música sempre fez parte da vida das crianças e adolescentes que frequentam a oficina, o diferencial é que agora temos a oportunidade de ensinar a parte técnica da música, resultando em desenvolver a sensibilidade e ajudando eles a se expressarem”.

Mas o projeto é amplo e envolve toda comunidade, que além de música terão a oportunidade de aprender capoeira, teatro e dança. A secretária de assistência social e trabalho, Karlúcia Macêdo ressaltou a importância das ações do Plano de Desenvolvimento Sócio Territorial no Residencial Boa Sorte e a integração harmônica dos moradores.

“Estamos satisfeitos com o resultado positivo do projeto que é uma das ações do Plano de Desenvolvimento Sócio Territorial no Residencial Boa Sorte, parceria entre a Prefeitura de Barreiras com a Caixa Econômica Federal. Teremos aqui, oficinas, palestras, encontros e apresentações para a comunidade, além de oferecer oportunidade para crianças, jovens e idosos de participarem das oficinas. Essa oficina de violão em especial é muito emocionante, porque desperta em nossas crianças e jovens a musicalidade, se tornando um agente de transformação social”, disse a secretária.

  • Compartilhe: