Em visita ao Parque Vida Cerrado, jovens atendidos no CRAS III conhecem mais sobre o bioma do Oeste Baiano

Bugio, ema e lobo-guará, foram algumas das espécies nativas do Cerrado que puderam ser vistas de perto por 35 jovens, atendidos pelo Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos – SCFV, oferecido pelo Centro de Referência de Assistência Social – CRAS III, do Bairro São Pedro. Na tarde de sexta-feira, 09, a visita ao Parque Vida Cerrado, deu início às atividades que serão desenvolvidas pelo CRAS III para despertar nos beneficiários o interesse pela preservação ambiental e sustentabilidade.

“Atualmente falamos muito sobre meio ambiente, conscientização ambiental e a importância do tema pra sociedade, mas ao conversar com os jovens dos nossos SCFV percebemos que eles estão muito distantes de uma compreensão real da sustentabilidade como um todo. Assim, decidimos por iniciar os trabalhos com a visita ao Parque Vida Cerrado para que conhecessem a fauna e a flora da nossa região, vendo de perto seria diretamente afetado pelos cuidados do homem ou pela falta dele, durante o desenvolvimento do percurso”, explicou a coordenadora do CRAS III, Kharola Crisóstomo.

Localizado entre Barreiras e Luís Eduardo Magalhães, em uma área preservada de 20 hectares, o Parque disponibilizou ao grupo um passeio pela trilha, conduzido por três guias, com informações sobre a fauna e flora do Cerrado, passando pelo viveiro de mudas e o criadouro conservacionista. Rebeca Barros, de oito anos de idade, ficou encantada com a oportunidade de conhecer e tocar nos animais.

“Foi muito legal, é a primeira vez que vou a um lugar assim. Fiquei sabendo de informações importantes sobre o macaco Bugio, por exemplo, que ele não transmite a Febre Amarela, e sim o mosquito da Dengue. Gostei muito da Loba Guará Mel, que é muito linda e todas as crianças puderam tocar nela, também pude conhecer o veado Aparecido”, disse Rebeca, a visitante mais jovem do grupo.

Dando continuidade às atividades, o CRAS também realizará discussões, seminários, oficinas de reciclagem e coleta seletiva, fabricação de compostagem para horta e reaproveitamento de alimentos. Em Barreiras, estes e outros serviços na área de proteção social são ofertados pela Prefeitura, por meio da Secretaria de Assistência Social e Trabalho.

  • Compartilhe: