Secretaria de Assistência Social e Trabalho realiza Semana da Mulher com intensa programação em Barreiras

Dia 08 de março é o Dia Internacional da Mulher. Em comemoração à data especial a Secretaria de Assistência Social e Trabalho preparou uma intensa programação para discutir com as mulheres de Barreiras, os assuntos como violência doméstica, empoderamento feminino, luta e reconhecimento social.

Ontem, dia 07, o CREAS no Jardim Ouro Branco recebeu o advogado Dr. Jandimário Teixeira para discutir a abordagem da Lei Maria da Penha “Os direitos da mulher previstos em Lei”. Ainda pela manhã, a psicóloga Fabiola Vian fez um bate papo com as mulheres no PSF da Vila Rica, também falando da temática sobre a violência contra a mulher e as consequências traumáticas, o medo de denunciar e as pressões psicossociais enfrentadas pelas vítimas.

No povoado do Cantinho do Senhor dos Aflitos, a equipe do CRAS III da Vila dos Funcionários levaram informações e fizeram uma reunião comunitária para discutir sobre o assunto “Mulheres e os Serviços Socioassistenciais – Empreendedorismo”, apontando o potencial do turismo religioso e artesanato local, para geração de renda das mulheres.

A noite, a psicóloga Fabiola Vian e a advogada Dra. Irenilta Castro do Centro de Referência de Atendimento às Mulheres – CRAM, participaram da Tribuna Livre na Câmara de Vereadores, apresentando estatísticas e detalhando o trabalho desenvolvido em prol da proteção das mulheres em risco, além de focar os casos de violência doméstica. A advogada Irenilta, citou o trabalho do CRAM que acolhe, faz o acompanhamento psicossocial e orientação jurídica às mulheres em situação de violência (violência doméstica e familiar contra a mulher, sexual, patrimonial, moral, física, psicológica, tráfico de mulheres, assédio sexual e psicológico).

A secretária Karlúcia Macêdo participou dos eventos, e destacou que a violência contra mulher e o assédio é um problema de toda sociedade.

“Não podemos fechar os olhos para essa gravidade que é a violência contra a mulher, e digo no sentido amplo, porque tem coisas que já achamos normal e na verdade não são. Hoje temos uma equipe preparada no CRAM, nos CRAS e CREAS para dar suporte, e encaminhar as mulheres que sofrem violência doméstica para que sejam amparadas. Por isso comemoramos o Dia Internacional da Mulher com informações, com palestras e reuniões, para proporcionar um ambiente de acolhida e apoio as mulheres”, disse a secretária.

Karlúcia lembrou que a agenda segue neste 08 de março, iniciando com a palestra da médica Thiara Coelho no CRAM, falando sobre Saúde da Mulher. E ainda a Roda de Conversa, que acontecerá no Instituto Viver Melhor no Arboreto I as 19h, levando o tema “O mito da inferioridade feminina e a luta das mulheres pelo reconhecimento social”.

Porque comemoramos o Dia Internacional da Mulher?

Dia 8 de março é considerado pelas Nações Unidas, desde 1975, como o Dia Internacional da Mulher, pois nesta data as operárias têxteis de uma fábrica em Nova Iorque, entraram em greve ocupando a indústria reivindicando a redução da jornada de trabalho que era de 16 horas diárias para 10 horas.

Essas mulheres, que recebiam menos de um terço dos salários dos homens, foram fechadas na fábrica e queimadas vivas. A ação matou mais de 130 mulheres que lutavam pelos seus direitos. A partir daí o dia foi considerado uma data de reflexão sobre a mulher e suas conquistas sociais.

  • Compartilhe: